Exposição no Rio: Em comemoração aos 110 Anos do Primeiro Voo do Demoiselle – segunda aeronave voada por Santos-Dumont – ocorrerá de 29 de novembro a 31 de janeiro de 2018, das 10 às 17 horas, no Salão Nobre do Arquivo Nacional, no Rio de Janeiro, a exposição “Asas Que Protegem o País” – Tributo a Santos-Dumont”.

A exposição no Rio terá entrada gratuita e contará com réplicas, documentos e fotos sobre o legado do pai da aviação. A organização do evento é do Centro de Documentação da Aeronáutica (CENDOC), responsável pelo Patrimônio Documental da Aeronáutica.

Réplica da Demoiselle, aeronave voada por Santos-Dumont

Durante a exposição o público poderá conferir a réplica em tamanho real da Demoiselle, segunda aeronave voada por Santos-Dumont, em novembro de 1907. Em 2017 são comemorados 110 anos do primeiro voo com a “Libéllule“, como também é conhecido o avião.

Na época, foi considerado, pelos especialistas em aviação, como sendo leve, prático e transportável. A unidade pertence ao Instituto Fernando de Arruda Botelho e ainda possui condições de voo.

Maquete artística do aeróstato de Santos Dumont em exposição

A maquete artística do aeróstato de Santos Dumont que contornou a Torre Eiffel em 1901 também estará em exposição. Com a invenção, Santos-Dumont provou a dirigibilidade dos balões. A exposição reúne também recortes de jornais com notícias a respeito de seus inventos na época.

Exposição no Rio contará com 43 fotos sobre a aviação brasileira

Divulgação site do sargento Johnson Barros

Também em homenagem ao pai da aviação, será exposto um acervo de 43 fotografias premiadas no Brasil e no exterior sobre a aviação brasileira, produzidas pelo Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER), no período de 2008 a 2017.

As fotografias são de autoria do Sargento Johnson Barros. Também haverá uma imagem de cada um dos outros integrantes da Seção de Fotografia do CECOMSAER: Sargento Bianca Viol, Sargento Bruno Batista e Cabo André Feitosa.

Centro de Documentação da Aeronáutica (CENDOC)

O CENDOC é responsável pelo recolhimento dos documentos de guarda permanente do Comando da Aeronáutica, caracterizados pelo valor Histórico, Probatório e Informativo que os Acervos possuem. “Esta exposição consolida o papel inovador e profissional presente na Gestão Documental do Comando da Aeronáutica, representado na apresentação não só do acervo iconográfico do CECOMSAER, mas também nos 76 anos de arquivos, que agora se consolidam graças à Reestruturação do Comando da Aeronáutica. Trata-se de uma perspectiva de lançarmos para o futuro as solidificadas bases da Força Aérea Brasileira”, afirma o Diretor do CENDOC, Coronel Intendente Carlos Alberto Leite da Silva.