Cães Policiais: Eles trabalham duro. Alguns têm jornada de até seis horas. Mas assim como todo trabalhador, eles também podem se aposentar a partir dos 8 anos, que é o que ocorre, por exemplo, com vários animais do canil da guarda municipal de Jundiaí. Por lá a aposentadoria é garantida por Lei.

As raças usadas no Canil da Polícia Militar de Suzano, na Grande São Paulo, são rottweiler, pastor alemão e pastor belga de Monois. É preciso que os cães tenham pedigree e tanto machos como fêmeas podem ser usados.

Quando o cão policial começa a ser adestrado?

1) O de treinamento ou adestramento de um cão policial começa quando o filhote faz quatro meses de idade.

2) Durante oito semanas o cão brinca e mantem uma convivencia com o policicial que será seu parceiro.

3) Do sexto ao décimo-quinto mês, o animal aprende repetição de palavras curtas, como SENTA!, com a recompensa de petiscos ou brinquedos.

4) Na fase avançada do adestramento o treino fica mais puxada e o cão policial aprende a atacar uma pessoas, subir e descer escadas, salta de lugares altos e a acostumar com barulho intenso, como tiros.

Quais sãos os trabalhos realizados pelos cães policiais?

Normalmente, esses cães trabalham nas seguintes ações policiais: imobilizar um suspeito até que seja revistado; atacar criminosos; reconhecer, pelo faro, drogas e explosivos; e localizar pessoas desaparecidas na mata ou em um cativeiro.

Segundo artigo de Juliano José Trant de Miranda, arquivado no site www.bibliotecapolicial.com.br , “o cão de polícia seja ele de captura e/ou de patrulha, pode e deve ser usado e adequado como instrumento de menor potencial ofensivo, trazendo para o policial mais um mecanismo de defesa na atuação do dia a dia operacional, no entanto o seu condutor deve estar atento e fazer com que esse uso respeite todos os padrões estabelecidos para o uso seletivo da força, ou seja, adequar a intensidade do emprego do cão de acordo com o risco empregado, respeitando os princípios da Legalidade, Necessidade, Proporcionalidade, Conveniência e Moderação”.

História dos cães na força militar | Origem dos cães policiais

A força policial européia já utilizava cães farejadores no século XVIII. Mas a partir da Primeira Grande Guerra, países como Bélgica e Alemanha formalizaram o processo de treinamento e começaram a usar os cães para tarefas específicas, como emprego de cães de guarda.

A utilização de cães no ambiente militar continuou na Segunda Guerra Mundial. Soldados retornavam para casa afirmando que cães bem treinados estavam sendo usados pelos dois lados do combate.

Não demorou muito para que Londres e outras cidades europeias criassem programas de cães policiais.

Já nos Estados Unidos somente a partir dos anos setenta é que os militares começaram a desenvolver técnicas para a atividade de polícia com cães.

Cães policiais: K-9, um policial bom pra cachorro

O trabalho dos cães policiais virou filme. E isso foi em 1989. K-9, um policial bom pra cachorro, é uma comédia de ação americana de ação com James Belushi e Mel Harris, dirigida por Rod Daniel.

O filme conta a história de Michael Dooley (James Belushi), um policial extravagante que necessita de alguma ajuda para lutar contra Lyman (Kevin Tighe), um narcotraficante que tem tentado matá-lo. Um conhecido lhe dá Jerry Lee, um pastor alemão que foi treinado para cheirar drogas. Com sua ajuda, Dooley espera colocar seu inimigo na cadeia, mas Jerry Lee tem uma personalidade própria e trabalha apenas quando quer. Para piorar, o cachorro é ótimo em destruir o carro, a casa e a vida sexual de Dooley.