As armas da Coreia do Norte têm assustado diversos líderes. Isso porque, além de manter o quarto maior exército do mundo, com mais de 1 milhão de soldados, eles também investem pesado em equipamentos de guerra.

Entre as principais preocupações da comunidade internacional estão os programas nucleares, mísseis balísticos e até tecnologias digitais, que podem ser usadas no que seria um combate moderno. Confira!

Bomba nuclear e ICBMs são as mais poderosas armas da Coreia do Norte

Desde 2006 diversos testes nucleares são realizados na Coreia do Norte. Eles possuem bombas atômicas e há a suposição de que detêm também uma bomba de hidrogênio 4 mil vezes mais potente do que aquela que destruiu Hiroshima. Isso sem falar nos mísseis de longa distância.

Aliás, os ICBMs, mísseis balísticos intercontinentais, têm sido o grande investimento do líder Kim Jong-um, que deseja usá-los para atacar os EUA. Esses artefatos também estão em testes e o grande questionamento é o potencial de alcance deles, mas já podem ser considerados como novas armas de guerra.

Ofensa química

As armas da Coreia do Norte vão além da balística e do poder nuclear. O país consegue produzir cerca de 5 mil toneladas de armas químicas por ano, o que inclui diversos tipos de gases armazenados em, no mínimo, seis depósitos.

Entre os mais perigosos estão os gases fosgênio, mostarda e sarin, todos eles mortais. No caso do último, por exemplo, ele é inodoro, incolor e sem gosto. Se liberado pelo ar, o sarin mata em poucos segundos.

Armas biológicas

Não bastasse todo o armamento e o exército que mantém, há rumores de que a Coreia do Norte também produza armas biológicas em sigilo. Isso significa que eles teriam condições de espalhar graves doenças (como varíola, antrax e cólera), através de mísseis ou projéteis de artilharia.

Embora a existência dessas armas seja um mistério, em meados de 2017 um desertor do Exército norte-coreano revelou arquivos assustadores. As conclusões apontam que testes de agentes biológicos e químicos foram feitos nos cidadãos de Pyongyang.

Ataque cibernético

A tecnologia digital também é uma das grandes armas da Coreia do Norte. Isso, ao contrário do que muitos possam imaginar, representa um grande poder de ataque no ciberespaço, o que pode comprometer diversos documentos.

Nos últimos anos diversos ataques cibernéticos foram atribuídos aos hackers da Coreia do Norte. Em um caso, por exemplo, a Coreia do Sul afirma que eles conseguiram obter dados sobre a defesa do país e até sobre planos sigilosos contra o líder norte-coreano.

Agora que já conhece todo o poder bélico do ditador da Coreia do Norte, que tal conhecer as principais armas e equipamentos do Exército Brasileiro? Aqui, no blog da Rafale, você encontra diversos artigos como este. Veja!